Origem e Curiosidades do Esmalte - Um Vidrinho em Potencial!

By Camila Oliveira - 26.9.14


Primeiro nas mãos das mulheres, depois também na dos homens, o esmalte faz a cabeça, ou melhor, as unhas de santinhas e pecadoras, roqueiros e até aqueles que só querem ficar com um visual melhor no dia a dia.

Conheça agora um pouco da história, curiosidades e porque não, algumas dicas de como manter o brilho e a sedução na ponta dos dedos.

- História

O hábito de embelezar as unhas não é novo, os antigos egípcios já as  coloriam com henna e os chineses e japoneses  usavam  vários extratos de plantas medicinais, purê de rosas, pétalas de orquídeas misturados com Alúmen. Usavam também goma arábica com clara de ovo, gelatina e cera de abelhas. No século 19,  já havia livros que continham instruções para fazer a pintura de unhas. O estigma contra qualquer forma de cosméticos era muito forte e a maioria das mulheres simplesmente lustravam suas unhas com cremes e pós coloridos. 

Cuidados para as unhas incluíam massagem com manteiga de cacau, vaselina ou azeite sobre elas para o brilho e saúde. Uma mistura composta de óxido de estanho, Carmine, azeite de lavanda e óleo de bergamota, também podia ser misturado e aplicado por manicures.

Em 1925, estudos que desenvolviam pinturas para carros (até então só existiam pretos e marrons) serviram de inspiração para os esmaltes tal como o conhecemos hoje. No início dos anos 30, as mulheres pintavam apenas o centro das unhas e com um lápis branco  passavam na meia lua e deixavam a ponta nua.

Nas décadas seguintes, vemos que a tecnologia empregada foi se tornando cada vez mais complexa. As unhas postiças parecem como uma boa alternativa de se chamar a atenção sem gastar horas na manicure. Há poucos anos foram disponibilizadas máquinas capazes de imprimir uma imagem digital nas unhas. Difícil é saber onde a indústria da beleza pode chegar a fim de atiçar a vaidade feminina.

- Curiosidades

* O esmalte mais caro do mundo, foi desenvolvido com partículas de diamantes brancos, que custa cerca de US$1 milhão, ou cerca de 2 milhões de reais, esse está a venda. E a Kelly Osboume teve o privilégio de experimentá-lo.


* Bertha, de 23 anos que ficou viciada em acredite se puder: BEBER esmalte. Ela gasta 76 dólares por semana para manter seu estranho vício. De fato, Bertha ingere ao dia vidrinhos e mais vidrinhos de esmalte, de todos os tipos e cores. Ela diz que ficou viciada de cara, quando sentiu, pela primeira vez o cheiro do esmalte num salão de beleza. Na mesma hora ela bebeu o vidrinho e desde então, não parou mais. O esmalte favorito dela é o que tem purpurina! Bertha bebe a cada semana mais de meio litro de esmalte. Estima-se que desde o inicio de sua obsessão, ela já tenha bebido mais de 136 litros de esmalte. 


* Cores opacas, escuras e tons avermelhados não são classificações possíveis para a linha da Strange Beautiful.  Jane Schub, a criadora da marca, prefere nomear os esmaltes fazendo relação entre as cores e substâncias, marcas no corpo e materiais que usamos no nosso dia a dia. Um vermelho escuro, parecido com a cor de um vinho tinto, por exemplo, vira, na cartela da Strange Beautiful, “menstral last day”, ou seja, último dia de menstruação. Já o roxo a marca preferiu apelidar de “gradation of bruise” – graduação de roxo de machucado, em tradução livre. 




* Nos últimos anos, o mercado de esmaltes tem se destacado no Brasil. De acordo com uma pesquisa feita pela Abre (Associação Brasileira de Embalagem) só no último ano, ele cresceu cerca de 12% obtendo um faturamento de R$ 600 milhões anuais.




- Dicas



- Embalagens

             

    

   

      

  

          

E Chega! rsrsrs



  • Share:

2 comentários

  1. Respostas
    1. As notícias são para ambos, mas o blog é mais visitado por mulheres mesmo! Obrigada!

      Excluir