2016 - O Ano Feminino no Cinema e no Oscar! Dica de Filmes!

By Camila Oliveira - 24.2.16


A 88ª edição anual do Oscar está pra acontecer dia 28/02, e como sempre, muito se especula sobre vencedores, perdedores, surpresas e azarões. Mas algo diferente vem acontecendo na maior premiação do cinema mundial nos últimos anos. A premiação geralmente vem servindo de vitrine para mostrar que em Hollywood nem tudo são flores ou tem final feliz. 

Esse ano o apelo é sobre a falta de indicados negros ou de outras etnias, pois a academia não considerou em nenhuma categoria principal a indicação de atores de outra descendência. Isso já acontece pelo segundo ano consecutivo e foi recebido por atores e profissionais do ramo com revolta que pode culminar num boicote em massa de muitos apoiadores da causa. 

O apresentador da cerimônia será Chris Rock, comediante negro que com certeza não deixará o fato passar em branco. Momento trocadilho! kkk

Mas pensando no Oscar, esse é só mais um caso de maior proporção de tantos outros isolados que não tiveram tanto chamariz. Afinal uma indústria tão grande com a diversidade que tem vem engessando cada vez mais seus papéis e histórias em produções e apostas rentáveis, descartando o diferente e lançando indicações para filmes como "Ponte de Espiões", que apesar de muito bem construído e com Tom Hanks como protagonista, nos remete as grandes produções sérias e intensas da década de noventa onde homens nervosos e frases de efeito ganhavam notoriedade, mas fora isso o filme é massante. Dica! Se estiver com sono, não veja esse filme, você com certeza dormirá!

O que leva a desacertos como esse são os membros da acadêmia, que apesar de grandes mestres da arte, estão a quilômetros de distância do verdadeiro público atual e pensam muito mais na estética do que nos novos rumos do cinema. Acredito que estes precisam se renovar e aderir maior opinião do público, além de títulos mais populares. Claro que não é uma festa popular, existem outras premiações pra isso, nem devem indicar qualquer filme para preencher a "cota" do Oscar, esse não é o objetivo. 

Porém, enquanto a vontade de meia dúzia de homens persistir perante toda a sociedade que aprecia audiovisual mundialmente, mulheres não ganharam o equivalente que os homens para representar, Leonardo Di Caprio terá de esperar quase 20 anos por um Oscar, além dos grandes nomes que recebem pelo conjunto da obra por não terem sido reconhecidos quando deviam. Desculpas a peso de ouro!

O que a estatueta precisa é respirar os novos tempos, construir mais papeis de nível sem esteriótipos pra que qualquer ator possa fazê-lo e ganhar notoriedade sem especulações. Reparar as injustiças que acontecem com escolhas inovadoras e apostas mais liberais, além de uma reformulação nos votantes da acadêmia. Todos os lados devem ser ouvidos para que público, atores e críticos tenham seus momentos, entretanto o que deve prevalecer é a arte e o sonho maior de contar uma história relevante através da grande tela. 

Ufa! Tava engasgado! Agora sim as indicações de filmes femininos, atendendo a muitos apelos do Oscar do ano passado. Me pergunto se no próximo ano estarei escrevendo indicações de filmes de atores negros e minorias! Aff!

1 - Carol
A jovem Therese Belivet (Rooney Mara) tem um emprego entediante na seção de brinquedos de uma loja de departamentos. Um dia, ela conhece a elegante Carol Aird (Cate Blanchett), uma cliente que busca um presente de Natal para a sua filha. Carol, recém-divorciada, também não está contente com a sua vida. As duas percebem que têm muito em comum, e logo um romance se desenvolve entre elas. Para fugir aos olhares dos moradores locais, Therese e Carol decidem fazer uma viagem pelos Estados Unidos. Mas percebem que um detetive está seguindo os seus passos.

Um filme mais sensível para contar a história de duas mulheres que se apaixonam numa época tão hipócrita quanto era os anos 50. Ambas as atrizes foram indicadas ao Oscar, Cate Blanchett de melhor atriz e Rooney Mara atriz coadjuvante.

2 - Brooklyn
Ellis Lacey é uma jovem irlandesa que se muda de sua terra natal e vai morar no Brooklyn, em Nova York, em busca da realização de seus sonhos. Logo, ela se encontrará dividida entre dois países e dois amores.

História sensível e leve que conta a de muitas imigrantes que deixaram seus países e depois tiveram grandes escolhas entre duas vidas possíveis. Apesar de muito bom, o filme é simples e traz uma participação de força menor ao Oscar. Saoirse Ronan concorre como melhor atriz. 

3 - A Garota Dinamarquesa
Na década de 1920, Einar Wegener, que depois se tornaria Lili Elbe, foi um artista plástico casado com Greta Wegener, também pintora. Um dia, Greta decidiu pintar um retrato de uma mulher e, na ausência de uma modelo, pediu ao marido que se vestisse como uma garota. Nasceu, assim, Lili Elbe, uma espécie de alter-ego do rapaz. Mas o que começou como um jogo passou a ser repetido com tanta freqüência que Einar decidiu passar por uma polêmica cirurgia para mudança de sexo, em 1931. 

Apesar de ser um homem, Eddie Redmayne atua de forma linda para trazer a sensibilidade de Lili. Ótimo filme num conjunto perfeito entre Eddie e Alicia Vikander, ambos completam o filme e formam uma dupla no Oscar como melhor ator e atriz coadjuvante. Ele pode levar pela segunda vez consecutiva inclusive, pois ganhou no ano passado com "A Teoria de Tudo".

4 - O Quarto de Jack 
A trama acompanha o ponto de vista de um menino de cinco anos que nasceu e vive mantido em cativeiro dentro de um pequeno quarto ao lado de sua mãe.

Muito lindinho esse filme, pois mesmo com o tema do sequestro o garoto é tão fofo e natural em seu modo de vida que coube a mãe o peso de demostrar o drama vivido. Super recomendo! A desconhecida do público até então, Brie Larson concorre ao prêmio de melhor atriz. 

5 - Joy: O Nome do Sucesso
Criativa desde a infância, Joy Mangano (Jennifer Lawrence) entrou na vida adulta conciliando a jornada de mãe solteira com a de inventora e tanto fez que tornou-se uma das empreendedoras de maior sucesso dos Estados Unidos.

Mais uma personagem forte da lista de Jennifer Lawrence. Uma ótima história de superação que peca apenas na montagem de cenas misturadas e falta de cronologia. De repente foi só um jeito diferenciado de sobressair dos demais. A queridinha de Hollywood, é claro, concorre ao prêmio de melhor atriz. 

6 - Sicario: Terra de Ninguém
A CIA está preparando uma audaciosa operação para deter o grande líder de um cartel de drogas mexicano. Kate Macy (Emily Blunt), policial do FBI, decide participar da ação, mas logo descobre que terá de testar todos os seus limites morais e éticos nesta missão.

Emily Blunt se sobressai para protagonizar uma história forte de tráfico de drogas e o peso de escolhas difíceis na vida de uma mulher policial. O filme não concorre a quase nada mas é muito expressivo com relação a heroína feminina.

7 - As Sufragistas
O início da luta do movimento feminista e os métodos incomuns de batalha. Mulheres que enfrentaram seus limites pela causa e desafiaram o Estado extremamente opressor.

Esnobado pelo Oscar, mas feito para ele. As sufragistas foi a maior resposta a crítica do ano passado com ótimas atuações da atriz Carey Mulligan e uma participação certa de Meryl Streep como uma das líderes do movimento. Mesmo assim não colou e esse maravilhoso filme segue no ostracismo. Mas vale o reconhecimento do público e a percepção de um caminho para muitos outros do gênero.

8 - Especialista em Crise
A consultora política Jane Bodine (Sandra Bullock) é especialista em conseguir contornar situações complicadas. Apesar de estar aposentada, ela decide trabalhar para o candido a presidência Pedro Castillo (Joaquim De Almeida) pelo simples motivo de querer ganhar do seu antigo rival Pat Candy (Billy Bob Thornton). Para conseguir o que deseja, Jane precisa manipular os pontos de vista e tornar Castillo o homem certo para a população, mesmo sabendo que ele irá trair todos no momento em que assumir o cargo.

História descontraída com Sandra Bullock como uma mulher doidamente certa em conseguir seus objetivos de eleger políticos corruptos e lidar com as consequências disso. Até que não mais, por isso é tão interessante. Personagem forte e diferente de tudo que ela já fez. A mocinha dos anos 90 está se reinventando depois de um tempo desaparecida.

9 - Rick and Flash -  De Volta Para Casa
Com mais de 50 anos de idade, Ricki (Meryl Streep) é uma cantora de rock, que sempre se apresenta com a banda The Flash em um pequeno bar. A situação financeira é precária, e ela não vê os filhos adultos há décadas. Um dia, o ex-marido Pete (Kevin Kline) liga para Ricki, avisando que a filha Julie (Mamie Gummer) foi abandonada pelo marido, e pedindo ajuda para tirá-la de um estado depressivo. Reticente, a mãe retorna ao lar, e descobre que tanto Julie quanto seus dois irmãos têm muito ressentimento por causa do abandono quando eram crianças. Essa é a oportunidade para Ricki fazer as pazes e tentar ser mais presente na vida deles.

Filme muito legal onde Meryl Streep se põe do outro lado das personagens fortes, chiques e incorruptíveis que não descem do salto de modo algum. Aqui ela é uma mãe que abandona a família para tocar guitarra (de verdade) e sofre as consequências de seus atos.

10 - Olhos da Justiça
Uma equipe de investigadores do FBI, junto com seu supervisor District Attorney, é subitamente despedaçada quando descobrem que um de suas próprias filhas adolescentes foi brutalmente assassinada.

Uma dupla de grandes ícones do cinema se junta para contar uma história policial e investigativa que leva através da troca grandes momentos do filme. 

11 - Amor por Direito
A policial de New Jersey Laurel Hester (Julianne Moore) e a mecânica Stacie Andree (Ellen Page) estão em um relacionamento sério. O mundo delas desmorona quando Laurel é diagnosticada com uma doença terminal. Como sinal de amor, ela quer que Stacie receba os benefícios da pensão da polícia após a sua morte, só que as autoridades se recusam a reconhecer a relação homoafetiva.

O mesmo caso do anterior, conta uma história real com fortes momentos da dupla Moore e Page. Outro esnobado que merece atenção do público e debate da sociedade. 


  • Share:

2 comentários

  1. Nossa, não conhecia nenhum desses filmes até ler seu post!! Agora estou mais atualizada, obrigada. Bjs,

    http://contosdacabana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, que bom! Essa é justamente minha intenção! Obrigada pela visita!!!

      Excluir