Pra Onde Vão os Sonhos Profissionais Num Momento de Crise?

By Camila Oliveira - 5.4.16

Somos e estamos em frequente evolução! O que nossos pais foram ontem com certeza não somos hoje, assim como nossos filhos não serão como nós amanhã. Pensando no lado profissional, que é praticamente o que nos define como pessoas, podemos pensar que desde os anos 80 somos gerações privilegiadas que não precisaram tomar suas vidas baseados em guerras, medos e imposições da sociedade opressora. 

Praticamente nascemos com tudo na mão! Calma, o mundo não é tão fácil assim! Mas pensando em tempos anteriores, esses foram anos dourados pra ser o que você quisesse ser... 

Mas tudo que é bom dura pouco, e se os últimos 20 anos melhoraram a vida de sua família e por consequência a sua, os últimos meses tem retrocedido toda esperança e certeza imposta num futuro brilhante e mais bem sucedido. 

Porém, agora é tarde! Queremos ser modelos, jogadores de futebol, esportistas, cantores, artistas e líderes. Não há como voltar, houve muito tempo pra sonhar. Mas quando uma crise adia ou impede sua evolução, como é engolir o fato de que se virar é o máximo que você consegue até retomar os planos novamente.

Esse deve ser um tema bastante recorrente na cabeça de cada brasileiro que se dedica na carreira e tem dívidas, dependentes, sonhos de consumo, etc. Também é o assunto principal do filme "Get a Job", cuja a função é mostrar como trabalhadores percorrem diferentes caminhos em épocas de crise. Eles têm sonhos e objetivos que diferem do mercado atual e não veem saída, justamente por terem vivido a era do tudo posso, mas sem fazer muito pra isso.

Não é o caso da maioria brasileira, mas serve em muitos exemplos para equiparar que no fim um indivíduo sem trabalho é alguém em apuros em qualquer lugar. Assim, Will (Miles Teller) sai da faculdade achando que o mundo é seu, querendo construir uma carreira com vídeos digitais e internet, mas acaba em empregos malucos como porteiro de motel e videomaker de cafetão antes de aceitar algo formal no ramo de vídeos para currículos.


Grande parte dessa aceitação veio dos conselhos da namorada Jillian (Anna Kendrick) que faz estágio numa grande firma com promessa de efetivação, mas ao invés disso, é dispensada e deixa a vida bem sucedida para trás indo morar na casa de Will com seus outros 3 colegas de quarto. Logo ela se desilude de melhorias e acaba passando pela fase dona de casa  desleixada e amiga dos meninos. O segundo conselheiro e companheiro do protagonista é o pai Roger (Bryan Cranston - eterno Walter White de Breaking Bad) um homem que trabalhou a vida toda num único emprego e agora perto da aposentadoria foi demitido. Ambos passam por poucas e boas para não perderem lugar no mercado de trabalho.

Além deles, os amigos não estão em situação melhor, pois Charlie (Nicholas Braun) aceita uma vaga de professor do fundamental quando não consegue nem orientar a si próprio. Ethan (Christopher Mintz-Plasse) quer ficar rico tentando emplacar um aplicativo de perseguição e Luke (Brandon T. Jackson) aguenta o método pouco ortodoxo de seu chefe para alcançar o sucesso num escritório de finanças.

Enfim, entre persistências, confrontos, insegurança e chefes que te mandam passear surge um filme simples, mas de mensagem clara sobre os tempos pelos quais passamos. Deixando com a definição de cada um o lema de que o importante é não desistir, escolhendo sempre ser você, tudo passará e honrar a evolução até aqui é crucial para melhorar. Senão, mesmo no acaso, um novo caminho se mostrará ideal se você souber aproveitá-lo. São assim as trilhas que fluem vida para que comece, daqui um tempo, tudo de novo muito melhor de oportunidades.


E para quem quer se motivar com mais filmes sobre o assunto temos:

1 - À Procura da Felicidade - 2006
Chris Gardner (Will Smith) é um pai de família que enfrenta sérios problemas financeiros. Apesar de todas as tentativas em manter a família unida, Linda (Thandie Newton), sua esposa, decide partir. Chris agora é pai solteiro e precisa cuidar de Christopher (Jaden Smith), seu filho de apenas 5 anos. Ele tenta usar sua habilidade como vendedor para conseguir um emprego melhor, que lhe dê um salário mais digno. Chris consegue uma vaga de estagiário numa importante corretora de ações, mas não recebe salário pelos serviços prestados. Sua esperança é que, ao fim do programa de estágio, ele seja contratado e assim tenha um futuro promissor na empresa. Porém seus problemas financeiros não podem esperar que isto aconteça, o que faz com que sejam despejados. Chris e Christopher passam a dormir em abrigos, estações de trem, banheiros e onde quer que consigam um refúgio à noite, mantendo a esperança de que dias melhores virão.

Clichê! Acho que todo mundo já assistiu, porém sempre vale a pena relembrar uma história de esforço máximo para conseguir o que quer. Até teste com cubo mágico! Um dos únicos filmes que fui com sessão lotada e foi ovacionado sem pretensão.

2 - As Loucuras de Dick e Jane - 2006
Dick (Jim Carrey) e Jane (Téa Leoni) formam um casal que vive confortavelmente, até ele ser demitido. As dívidas se acumulam cada vez, deixando-os em estado caótico. Para manter o padrão de vida que levavam eles decidem realizar pequenos roubos. Após um início cheio de problemas, eles se vêem diante do golpe que pode deixá-los milionários.

Esse também fala de crise extrema. É muito legal, mas não sigam o exemplo do casal, pois ninguém terá a sorte e cara de pau deles pra dar uma de Hobin Wood de si mesmo. Ótima comédia!


3 - Ou Tudo ou Nada - 1998
Sheffield é conhecida como a "cidade do aço", devido ao grande numero de empresas do setor instaladas no local. Atualmente em declínio, as indústrias cada vez mais realizam demissões, o que gera um grande número de desempregados. Um deles é Gaz (Robert Carlyle), que está prestes a perder a custódia do filho por não ter dinheiro para sustentá-lo. Seus amigos não estão em situação muito melhor: Dave (Mark Addy) está com depressão e convencido de que a esposa não está mais interessada no casamento; Lomper (Steve Huison) cuida da mãe e tem tendência suicida; e Gerald (Tom Wilkinson) mente há seis meses para a esposa, dizendo que permanece empregado. Após perceber um grande número de mulheres dispostas a pagar para assistir um show de strippers, Gaz tem a ideia de que eles e os amigos estrelem um show do tipo. A diferença é que eles, ao contrário dos concorrentes, pretendem tirar toda a roupa no espetáculo.

Também uma comédia sútil para demonstrar a crise da cidade pequena quando o único negócio vai embora do local e deixa quase todo mundo a ver navios. É aí que um grupo de caras abusa da criatividade e cria-se aquela cena lendária de streap tease do cinema. Prefiro ver em Magic Mike!


4 - Sem Sentidos - 1998
Darryl Witherspoon (Marlon Wayans) é um jovem que precisa ao mesmo tempo cursar sua faculdade - e dar um jeito de pagá-la - e ainda cuidar de sua mãe e seus irmãos mais novos. Para conseguir dinheiro Darryl pega todo tipo de serviço possível, que ocupam praticamente todo o seu tempo. Quando Darryl vê um anúncio convocando voluntários para uma experiência científica, que serão pagos por sua participação, ele não pensa duas vezes e se inscreve. Porém o que ele não esperava era que o soro testado nele fizesse com que seus sentidos ficassem super aguçados, causando as mais diversas confusões.

Outra comédia! Talvez um remédio pra crise seja rir da desgraça! Muito legal conferir as loucuras desse cara extremamente pobre tentando estudar, ajudar a família e conseguir um estágio. Época em que os Wayans não pesavam no humor!

5 - A Grande Aposta - 2015
Michael Burry (Christian Bale) é o dono de uma empresa de médio porte, que decide investir muito dinheiro do fundo que coordena ao apostar que o sistema imobiliário nos Estados Unidos irá quebrar em breve. Tal decisão gera complicações junto aos investidores, já que nunca antes alguém havia apostado contra o sistema e levado vantagem. Ao saber destes investimentos, o corretor Jared Vennett (Ryan Gosling) percebe a oportunidade e passa a oferecê-la a seus clientes. Um deles é Mark Baum (Steve Carell), o dono de uma corretora que enfrenta problemas pessoais desde que seu irmão se suicidou. Paralelamente, dois iniciantes na Bolsa de Valores percebem que podem ganhar muito dinheiro ao apostar na crise imobiliária e, para tanto, pedem ajuda a um guru de Wall Street, Ben Rickert (Brad Pitt), que vive recluso.

Mas se existe crise, há também um começo! Nesse filme ágil a crise imobiliária americana é mostrada desde seus primórdios revelando que sempre tem aquele que sabe, muitos relapsos que se aproveitam e só alguns poucos que setem remorso ou tentam avisar. 


6 - A Grande Virada - 2010
Bobby Walker (Ben Affleck) não tem o que reclamar da vida. Tem uma bela família, um bom emprego e um deslumbrante Porsche na garagem. O que ele não esperava era que, devido a uma política de redução de pessoal, fosse demitido. Phil Woodward (Chris Coioper) e Gene McClary (Tommy Lee Jones), seus colegas de trabalho, passam pela mesma situação. A mudança faz com que o trio tenha que redefinir suas vidas, como maridos e pais de família.

Uma história séria que mostra o efeito direto da crise num trabalhador. Só que nesse caso, Ben Affleck é um figurão que após perder o emprego vai perdendo também status e respeito, além do alto estilo de vida que a economia americana lhe proporcionava. 

  • Share:

0 comentários